"Deixai os pequeninos, não os embaraceis de vir a Mim, porque dos tais é o reino dos céus." Senhor Jesus Cristo
Mateus 19:14
RSS

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

O Verdadeiro Sentido do Natal

Textos: Lucas 1:26-38; Mateus 1:18-25
Versículo para Memorizar: "Ela dará à luz a um filho e lhe porá o nome de Jesus, por que ele salvará o seu povo dos pecados deles” (Mateus 1:21)
Objetivo: Ensinar a criança sobre o Verdadeiro sentido do Natal através de três verdades fundamentais.

INTRODUÇÃO:
Quantos de vocês gostam da época do Natal? Porque? (espere resposta).  Você sabia que compras, divertimentos, Papai Noel, árvores, presentes e outras lendas encobrem o verdadeiro sentido do Natal? Com a finalidade de tirar proveito da história do Natal, as pessoas estão mudando o seu verdadeiro sentido.  O foco do natal é o Senhor Jesus Cristo, o Filho perfeito de Deus.  A história verdadeira do Natal se revela em três verdades fundamentais.
 A FIDELIDADE DE DEUS:
Como Deus revela Sua Fidelidade na história do Natal? Primeiramente cumprindo sua promessa feita no jardim do Éden.
Quando Adão e Eva pecaram contra nosso Deus, o Senhor prometeu enviar um Salvador para pagar pelos seus pecados.  Você sabe o que é pecado? É desobedecer às leis de Deus.  É também tudo aquilo que você faz, pensa e diz que não agrada a Deus. Quando você mente ou fica com raiva de seus pais, pensa mal de alguém – é pecado.  A Bíblia diz que todos pecaram (Romanos 3:23)
Você é pecador e o seu pecado tem quer ser castigado. Deus enviou o Salvador para pagar pelos teus pecados. Deus é fiel, isto quer dizer que Ele cumpre o que promete. 
Deuteronômio 7:9 diz: “Saberás, pois, que o SENHOR, teu Deus, e Deus, o Deus fiel...”. Algumas vezes fazermos promessas e não as cumprimos, mas o nosso Deus não esquece. Ele sempre cumpre com Sua palavra. A história do Natal revela outra verdade:
       O PODER DE DEUS:
Como Deus demonstra o Seu Poder por meio da história do natal? Controlando todos os detalhes relacionados à chegada do Seu Filho ao mundo.
Deus enviou o Seu anjo Gabriel a uma jovem chamada Maria que morava na cidade de Nazaré. O anjo disse: “Que a paz esteja com você Maria! Você é muito abençoada. O Senhor está contigo.” (Lucas 1:28) Maria quando ouviu o anjo ficou com medo. Então o anjo continuou: “Não tenha medo Maria! Deus está contente com você. Você ficará grávida e dará luz a um filho e colocará nele o nome de Jesus. Mas como? Maria não conseguia entender? Maria estava noiva de José. 

O anjo explicou que o Espírito Santo viria sobre ela, e o poder do altíssimo a envolveria com a sua sombra.  Por isso o menino seria chamado de santo e Filho de Deus. Pensando ainda nesses acontecimentos, Maria recebeu uma notícia maravilhosa, pois o anjo falou: “Tua parente Isabel está grávida, mesmo sendo idosa, porque para Deus não haverá impossíveis em todas as suas promessas.”

Deus demonstra Seu poder por meio da história do Natal fazendo Cristo nascer de uma virgem e preparando o mundo para receber o Salvador.  A Bíblia diz: “Porque Deus amou ao mundo...(João 3:16) Deus ama você e te criou de uma maneira maravilhosa.  Deus criou tudo o que há neste mundo, o ar, a terra, as plantas, os animais e até o céu sobre as nossas cabeças. Deus é Santo e nunca fez nada de errado. E Ele demonstra Seu poder por meio da história do Natal.  A história do Natal também revela:
 A Salvação de Deus:
      Como? Dando esperança de perdão de pecados.  Ela dará á luz um filho e lhe porá o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles.” (Mateus 1:21).
Quando Maria deu à luz a criança fez como o anjo dissera, deu-lhe o nome de Jesus que significa “Salvador”.  Ela enrolou-o em tiras de pano e o colocou numa manjedoura porque não havia lugar para eles na estalagem.  O Senhor Jesus, o Filho de Deus perfeito deixou as riquezas do Céu para vir a terra.  Ele nasceu para ser o seu Salvador.  Jesus cresceu e viveu uma vida normal como você e eu, mas Ele nunca pecou.  Certo dia homens maus o pregaram numa cruz para pagar pelos nossos pecados.  Ele derramou o seu precioso sangue na Cruz do Calvário porque a Bíblia diz: “...E sem derramamento de sangue não remissão de pecados.” (Hebreus9:22b). Depois de morto o colocaram num túmulo, mas ao terceiro dia, ressuscitou dos mortos. Jesus está vivo e está assentado à direita do trono de Deus.
Jesus veio trazer esperança de salvação para todos os povos, inclusive as crianças.  No mundo há pessoas de todas as raças e nacionalidades.  Todas essas pessoas têm uma mesma necessidade: precisam das Boas Novas que são para todos os povos. 
 A verdadeira história do Natal é a história da Fidelidade de Deus, do Seu poder da Sua salvação.
Desafio:
Você que já é um salvo lembre-se que Deus é Fiel e tem um propósito para tua vida.  Não deixe que outras coisas tirem o foco do verdadeiro sentido do Natal que é o Senhor Jesus.  Durante essa época do Natal lembre-se dessas três verdades fundamentais.  Agradeça ao Senhor porque Ele é fiel, é Poderoso e é o Salvador.

Convite:
O Senhor Jesus veio para salvar você do seu pecado, Ele quer perdoar os teus pecados e fazer de você um filho dEle.  Ele já pagou o preço derramando o Seu sangue e levando sobre Si todo o nosso castigo. A notícia boa é que Ele vive eternamente e tem o poder de te salvar. A Bíblia diz: "Crê no Senhor Jesus e serás salvo" (Atos 16:31).
(Faça o convite conforme o Espírito Santo dirigir você)

Autora: Darlene Alencar Oliveira
Fonte: Pregação do Pr. Jenuan Silva Lira (Usado com permissão)
Leia Mais...

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

Confiando em um Deus Imutável

Amy Bergen
Aprendendo que tudo vem de Deus

Capítulo I
Amy morava numa pequena fazenda no estado de Kansas nos Estados Unidos. Era uma menina muito esperta que logo aprendeu a andar e treinar cavalos com seu pai. Ele sempre a levava para passear a cavalo, e enquanto andava juntos, ele lhe ensinava capítulos da Bíblia na língua alemã. Ele era alemão, e por causa disse, Amy falava alemão e depois aprendeu inglês quando começou a frequentar a escola. 
Na fazenda, eles plantavam milho e trigo. Também criavam cavalos, vacas, galinhas e patos. Mas, o que Amy mais gostava mesmo era de tirar leite das vacas todo dia, pela manhã e à noite.
Amy juntamente com suas três irmãs e seu irmão iam a uma igreja perto da fazenda. Seus pais eram pobres, não tinham coisas materiais, mas eles tinham algo mais precioso que o ouro. Tinham o amor de Deus em seus corações e assim eles demonstraram muito amor para com seus filhos.
Com seis anos de idade, Amy recebeu Jesus como Salvador numa Escola Bíblica de Férias. Como ela estava feliz, Jesus agora era seu Salvador e amigo. Ela amava a sua professora da Escola Dominical que foi de grande influência no seu crescimento espiritual. No Natal, ela gostava de participar das programações da Igreja. Depois, cada criança recebia bombons e uma laranja.
Em casa, seus pais lhe ensinavam a Palavra de Deus e também como orar. Na Igreja, as verdades bíblicas foram pregadas pelo um pastor chamado Pedro.
Tudo o que Deus dá tem valor – essa foi uma das lições que Amy aprendeu ainda pequena. Seus pais lhe obrigavam a comer tudo o que estava no prato, lembrando que a comida era Deus quem dava e não podia jogar nada fora.
Certo dia Amy estava almoçando na casa do seu tio Otto. Ele gostava muito dela e ela dele. Então, sentada ao seu lado, Amy pensou: “Bem, já que estou longe dos meus pais, não vou precisar comer tudo o que está no prato, e não comeu”. 
Mas, para sua surpresa na hora do jantar, a sua comida foi o que ela tinha deixado no prato ao meio dia. Ninguém disse nada, mas ela guardou essa lição no seu coração. Sempre devemos agradecer a Deus pela provisão de cada dia e não esquecermos de que há muitas crianças que não têm o que comer. Tudo vem das mãos de Deus e devemos ser gratos.
Quando Amy estava com dez anos de idade, sua tia Liliana foi à África servir a Deus como missionária. Depois de aprender a língua do povo, ela começou um Clube Bíblico com as crianças. Ela escreveu uma carta para a família de Amy pedindo oração pela salvação das crianças. Então toda a semana no dia e na hora do Clube Bíblico, a família se ajoelhava ao lado da cama e orava.

Neste tempo, Amy estava estudando na escola sobre o país do Brasil. O professor deu a tarefa de fazer uma lista de coisas que cada criança gostaria de levar na mala se fosse visitar o Rio Amazonas no Brasil. No livro de geografia tinha uma foto do Rio Amazonas com crianças brincando à beira do rio. Ela perguntou a sua mãe se aquelas crianças já tinham ouvido sobre o Senhor Jesus que morreu na cruz pelos seus pecados. Sua mãe respondeu que achava que não. Naquele momento Amy lembrou as orações pelo Clube Bíblico que sua tia estava fazendo na África. Ela começou a pedir a Deus que lhe mandasse como missionária para o Brasil. E quando alguém lhe perguntava o que ela queria ser quando crescesse ela falava: “Uma missionária no Brasil para falar de Jesus às crianças que estão no Rio Amazonas”.

Cada dia deus ia trabalhando na vida de Amy. No oitavo ano na escola, ela teve o privilégio de ter uma professora que amava o Senhor Jesus. O nome dela era Ana. Ela sempre ia à casa de Amy e ensinava princípios da Palavra de Deus. Foi ela quem incentivou Amy a dedicar sua vida para a Obra Missionária.
E você? Você já dedicou sua vida a Deus? Já pediu a Ele pra ser o Senhor da sua vida? Saiba que o Senhor quer usar sua vida para fazer discípulos. Peça a Deus para ser o seu Senhor e que use vida aonde Ele desejar.
Tudo o que temos vem de Deus.

Aprendendo sobre a Fidelidade de Deus

Capítulo II
A fim de realizar o ensino médio, os pais de Amy procuraram uma escola interna que ficava bem longe de casa. Logo no primeiro dia de aula na escola, Amy conheceu Margie que se tornou sua melhor amiga até hoje. Margie era filha única e Amy muitas vezes passava o fim de semana na casa dela. Os pais de Margie a considerava como filha.
Naquela época Amy não queria obedecer às regras da escola. Deus precisou chamar sua atenção. E sabe o que aconteceu? O pai dela sofreu um acidente muito grave e ela teve que deixar a escola para cuidar da fazenda. Foi muito difícil para abandonar a escola.
Certa vez quando ela foi visitar seu pai no hospital, uma enfermeira queria lhe dar um catálogo de uma escola de enfermagem e Amy não queria receber. Ela dizia: “Eu quero ser missionária e não enfermeira”. Mas, a enfermeira insistiu tanto que sua mãe mandou que recebesse o catálogo.
Apesar de ter saído da escola, Amy continuou seus estudos por correspondência e em poucos meses voltou para escola. Deus a ajudou a concluir seus estudos juntamente com sua turma. Foi mais uma lição que ela aprendeu – DEUS É FIEL.
Muitas vezes duvidamos e pecamos contra o nosso Deus, mas Ele nos perdoa e nos ajudar a continuar.
Terminando o ensino médio, Amy matriculou-se no curso de Missões no Instituto Bíblico. Sua amiga Margie também foi estudar no mesmo instituto e ficaram no mesmo quarto. Como os pais de Amy não tinham condições para pagar suas despesas, Amy teve que trabalhar em casa de família. Então, ela assistia às aulas pela manhã, trabalhava à tarde e estudava à noite.
Uma das tarefas do Instituto Bíblico era procurar casas nos bairros pobres da cidade para realizar um Clube Bíblico para crianças. Amy e Margie realizaram esse trabalho juntas. Essas experiências foram muito úteis para a Obra Missionária.

No último ano de estudos, ela começou a procurar as agências missionárias que enviavam missionários para o Brasil. Nenhuma agência lhe aceitava porque ela era solteira, não tinha 21 anos completos e não possuía uma formação especializada como: professora, enfermeira ou médica. Foi nesse momento que Amy se lembrou do catálogo que a enfermeira tinha dado para ela. Porém, o curso era caro e ela não tinha como pagar. Ela ficou muito triste. Teve algo que alegrou muito a Amy foi que na sua formatura tudo estava pago porque ela pagou com seu trabalho e seus pais não se preocupavam com nada.
Deus mais uma vez mostrou a sua fidelidade. “O SENHOR é fiel em todas as suas palavras e santo em todas as suas obras” Salmo 145:13.
Mesmo não sabendo como pagar as despesas, Amy fez sua matrícula na escola de enfermagem, perto da casa de seus pais. Nesta escola os alunos não podiam trabalhar. Eles assistiam às aulas pela manhã e à tarde trabalhavam no hospital para pôr em prática o que aprenderam. Amy orou a deus para que Ele suprisse as suas necessidades financeiras e mostrasse a vontade dEle para a vida dela. O Senhor em poucos dias respondeu as suas orações com um SIM. 
Ela recebeu uma carta da diretora da escola informando que um grupo de senhoras da Igreja Metodista, escolheu o nome de uma aluna para pagar todas as despesas do curso de enfermagem até a sua formatura. E Amy foi a escolhida. Como ela ficou contente, agora ela sabia que Deus a queria como enfermeira, no Brasil. O nosso Deus continua fiel. “Se somos infiéis, Ele permanece fiel, pois de maneira nenhuma pode negar-se a si mesmo” 2 Timóteo 2:13.
Certo dia, quando Amy estava sentada no alpendre do dormitório, orando para que Deus mostrasse uma agência missionária que trabalhasse com o Brasil, um casal chamado Roberto e Verona Williams chegaram perguntando por Amy, eles eram missionários com a missão “Brasil Gospel Fellowshipe Mission”. Em pouco tempo ela foi aceita pela missão para ir ao Brasil como missionária. Sr. Roberto escreveu para os missionários no Brasil contando que uma nova missionária ia para o campo.

Nesse tempo um amigo de Amy da escola secundária e do Instituto Bíblico chamado Geraldo, já estava no Brasil como missionário. Quando ele soube que Amy estava vindo para o campo, escreveu uma carta para ela e começaram a corresponde-se.
Enquanto isto, ela trabalhava no hospital, guardando dinheiro para comprar as coisas necessárias para levar ao Brasil. Amy dizia: “Quando eu tiver tudo o que preciso, eu irei”. Mas um casal amigo dela sabendo disso deu-lhe um conselho: “Amy enquanto você depender de você mesmo para suprir suas necessidades, você nunca irá ao Brasil. Deixe o seu emprego, avise sua Igreja que Deus este te chamando. Dependa do Senhor para suprir suas necessidades”.

Ela aceitou o conselho. A sua Igreja prometeu dá todo o sustento mensal, a passagem de avião e tudo o que precisaria levar para o Brasil. Também prometeu orar fielmente por ela. O coração de Amy transbordava de alegria e gratidão a Deus.
Quando Deus chama, Ele mesmo se encarrega de cuidar da pessoa, pois o Senhor é o dono da Obra Missionária. Vale a pena confiar na fidelidade de Deus. Tudo quanto Deus nos prometeu, Ele cumprirá, pois é fiel.
“Fiel é o que vos chama, o qual também o fará” 1Tessalonicenses 5:24.

Aprendendo a Confiar em Deus

Capítulo III
 Em dezembro de 1954, Amy estava pronta para vir ao Brasil. O Sr. Roberto alugou um grande reboque para colocar as bagagens. Depois de se despedir da família partiram para Nova Iorque. Chegando lá, deixaram as bagagens no porto de embarque e foram para uma casa de hóspede que tinham reservado para passar a noite. O Consulado brasileiro tinha mandado o visto de Amy para essa casa, mas quando chegaram lá os quartos estavam todos lotados. Enquanto conversavam com a recepcionista, Amy viu um envelope com seu visto e a moça já tinha escrito “Volte ao remetente”, ao invés de entregar para Amy ela colocou dentro da caixa postal. Sem visto, Amy não podia viajar com Sr. Roberto e família. O que ela iria fazer?

Naquela noite, ela quase não conseguia dormir. Amy teria que voltar para casa que era muito longe e ela estava com medo de dirigir sozinha. O Sr. Roberto tinha oferecido seu carro para ela voltar a Kansas.  Era inverno e havia neve e gelo na estrada. Também não tinha dinheiro bastante para colocar gasolina. Ela chorou e orou ao Senhor. Deus colocou em seu coração o versículo: “Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-O em todos os teus caminhos, e Ele endireitará as tuas veredas” Provérbios 3:5 e 6. Que conforto para o seu coração! Ela entregou tudo nas mãos do Senhor e descansou nEle.
No dia seguinte, foram ao aeroporto e graças ao Senhor, eles permitiram que Amy fosse até a porta do avião para receber as capas de inverno do Sr. Roberto e família. Antes de ele lhe entregar as capas, o missionário examinou seus bolsos e entregou uma cédula de $ 50,00 para Amy. Ele olhou para ela e disse: “Eu não sei como esse dinheiro chegou ao meu bolso, tome Amy você irá precisar. Certamente alguém da igreja colocou depois do culto e Deus sabia que iria precisar”. 
Que lição preciosa para Amy. Sim, ela podia confiar em Deus. Amy voltou para o carro chorando e agradecendo ao Senhor pelo seu cuidado. Antes de ir ao Brasil, ela precisava aprender duas lições:
1.     Confiar em Deus e não em Amy (Provérbios 3:5 e 6).
2.     O que Deus promete, Ele faz (Hebreus 10:23).
Finalmente em janeiro de 1955, ela chegou a Fortaleza. Geraldo e outros missionários estavam no aeroporto. Desde agosto que Amy e Geraldo se correspondiam como amigos. Crendo então que era plano de Deus para servi-lO juntos como marido e mulher, ficaram noivos no dia 15 de fevereiro. No dia 14 de junho de 1955 casaram numa pequena igreja no centro de Fortaleza. Nenhum parente deles estava presente, mas eles ficaram felizes com a presença dos missionários. Foram morar em Messejana.
Foi difícil para aprender a língua e graças a Deus que as pessoas foram pacientes com ela e muitas vezes lhe corrigia. Certa vez, Amy explicando como Jesus foi crucificado disse: “Soldados tomaram pregadores (ao invés de pregos) e pregaram as mãos e pés de Jesus numa cruz”. Ninguém riu e ela só soube do seu erro quando Geraldo lhe contou, depois quando estava em casa.

Terminando um ano de estudos da língua, o casal viajou para Santa Quitéria, onde permaneceram três meses. Amy gostava de visitar as famílias e fazer amizades. Quando as pessoas souberam que ela era enfermeira começaram a lhe pedir ajuda. 

Um dia, uma mocinha chegou com as duas mãos queimadas. Ela tinha ido ao posto de Saúde e falaram que ela nunca mais usaria suas mãos. Ela era bordadeira e isso a deixou muito triste. Entretanto todos os dias, Amy tratava de suas mãos e quando sarou, ela fez exercícios nos dedos. Isto deu oportunidade para Amy compartilhar do amor de Deus com essa jovem. 
E antes do casal sair de Santa Quitéria, aquela jovem bordou um lenço para Amy. Ela podia usar suas mãos. Para Deus tudo é possível.
Em novembro de 1956, eles foram morar em Tauá e ficaram um ano trabalhando na Igreja Bíblica. Amy ensinavam as mulheres e treinavam pessoas para ensinar as crianças na Escola Bíblica Dominical. Foi nessa cidade que eles tiveram uma provação muito grande. Seu esposo Geraldo adoeceu do abdômen. Sentia fortes dores que não conseguia nem dormir. Amy chamou um médico e ele não descobriu o que causava as dores. Ele passou um remédio, mas não serviu de nada. Então ele deu uma injeção para ele dormir. Ele conseguiu dormir e ela ficou ao lado dele à noite toda medindo sua pressão arterial. Amy orou ao Senhor pedindo seu auxílio. 

Quando amanheceu o dia, Geraldo abriu os olhos e disse que a dor era tão forte que ele queria morrer. Naquele momento, alguém na porta, era D. Ester, uma senhora crente no Senhor Jesus e Amy pediu que ela fosse chamar o médico. O médico veio e pediu para que Geraldo e Amy fossem junto com o prefeito de avião para Fortaleza. Somente Deus podia fazer isso e Ele fez. Ficaram um mês em Fortaleza e graças a Deus, Geraldo se recuperou.

Deus lhe mostrou mais uma vez a verdade de Provérbios 3:5 e 6: “Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-O em todos os teus caminhos, e Ele endireitará as tuas veredas”. Sim, podemos confiar em Deus. Confiar em Deus implica você lançar sua vida diária sob os cuidados, a proteção e vontade daquele que sabe o que é melhor para você. Confie sempre no Senhor.

Produzindo Frutos para o Senhor

Capítulo IV
Depois de passar um ano nos Estados Unidos, foram morar em Massapé (1959-1963). Foram os primeiros a levar o Evangelho nessa cidade. O povo tinha medo de fazer amizade com eles por que os líderes da religião deles não permitiam. Com o tempo algumas pessoas mostraram interesse, mas ficaram com medo de tomar uma decisão ao lado de Cristo. 
Uma delas era uma jovem chamada Zélia que morava em Fortaleza e estava passando as férias em Massapé. Ela foi assistir ao culto e pela primeira vez ouvir sobre o Senhor Jesus que tinha morrido pelos seus pecados. Naquela noite ela recebeu a Jesus e não disse nada para ninguém porque estava com medo. Quando voltou para Fortaleza contou para seus pais sobre sua decisão. Seu pai não gostou e disse pra ela fazer uma escolha: Deixar de ser crente ou sair de casa. 
Que escolha difícil para Zélia. Ela saiu de casa, encontrou uma igreja evangélica e foi morar com uma família dessa igreja. Zélia cresceu nos caminhos do Senhor e a Igreja pagou tudo para ela estudar no Instituto Bíblico Betel em João Pessoa. Quando estava no último ano de seus estudos, ela escreveu uma carta para Geraldo e Amy. 

Na carta ela agradecia por eles terem ido a Massapé para ela poder ouvir o Evangelho. Que benção! Que alegria para eles. Deus estava mostrando o fruto do seu trabalho.
“Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que no Senhor, o vosso trabalho não é vão” 1 Coríntios 15:58.
Depois que saíram de Massapé, eles foram morar na Vila Paraguai (Jijoca). Já estavam com dez anos de casados e não tinham filhos. Contudo estavam orando que Deus lhes desse uma criança brasileira para adotar. Então no dia 03 de junho de 1965 viajaram para Fortaleza para falar com o doutor Silas para ele os ajudasse na adoção de um menino recém-nascido.  
Amy também ia ajudar à missionária Jina que ia ter seu terceiro bebê. Pastor Samuel e Jina já tinham dois filhos Filipe (Filipe Stucky –hoje missionário com sua esposa no Rio Grande do Sul) e Glória. Agora o terceiro era uma menina e ela nasceu no dia do aniversário de Amy. Os três filhos do casal foi Amy que ajudou no parto. No último parto, Jina precisou de uma transfusão de sangue e naquela época não tinha banco de sangue e Amy tinha o mesmo tipo de sangue da Jina e então o médico fez a transfusão. Poucos anos depois, Dr. Silas iniciou o banco de sangue em Fortaleza.

No dia 14 de junho, Geraldo e Amy falaram com Dr. Silas sobre o desejo de adotar uma criança. Dois dias depois, o médico deixou um bilhete na casa da Missão dizendo que tinha nascido um menino no dia 13 de junho no hospital São Lucas. Eles podiam pegá-lo no dia seguinte. No dia 17 de junho, Timóteo Jaime Bergen foi registrado como filho de Geraldo e Amy. O próprio Timóteo era exemplo de saúde, pois ele ajudou Amy a ensinar o povo a cuidar de uma criança. Exemplos: “Não faz mal chupar caju assim que tira do cajueiro, banhar-se na água quente pelo sol, vacinar-se (a vacina evita doenças), chupar manga e depois beber leite”.
Ainda na Vila Paraguai, a casa de Amy e Geraldo, tornou-se quase um posto de saúde. Ela fazia curativos, ponteava golpes de facadas e realizava partos. Havia um fazendeiro chamado José, ele era contra a Palavra de Deus e dizia que nunca iria precisar da ajuda deles. Entretanto, ele foi ferido e precisou ser tratado e sabe quem cuidou dele? A missionária Amy. Anos depois ele aceitou a Cristo e deu um testemunho dizendo que por causa do tratamento recebido com carinho e amor, ele ficou convencido que Cristo era real.
Saindo de Paraguai, Geraldo e Amy foram morar na casa da Missão em Fortaleza. Era um ministério bem diferente, eles iam cuidar de 11 estudantes filhos de missionários que moravam no interior do Ceará.
Foi nesse período no dia 25 de agosto de 1967, Dr. Silas disse que havia uma menina para eles no hospital São Lucas. Geraldo, Amy e os estudantes foram buscar Raquel Anna Bergen. Ela só pesava um pouco mais de 2 quilos, não queria comer e não chorava. 
Enquanto Amy cuidava de Raquel, uma das moças que lhe ajudava, chegou dizendo que o Timóteo havia engolido 21 comprimidos. Ele pegou o remédio em cima da mesa e engoliu. Ele só tinha dois anos e esses comprimidos podiam matá-lo. Graças a Deus que Amy tinha um preparo para lavar o estômago antes que os comprimidos se desmanchassem. Timóteo ficou tão assustado que prometeu que nunca mais iria tomar remédio sem antes perguntar a sua mãe. Deus salvou a vida dele.
A cidade de Cruz foi o próximo campo missionário nos ano de 1970 a 1980. Geraldo era pastor das igrejas bíblicas de Cruz e Acaraú. Amy ensinava Raquel e Timóteo em casa, atendia muitas pessoas na área da saúde e era conselheira da mocidade. Amy sempre contava com a ajuda de sua grande amiga, filha e irmã em Cristo, Iracy que veio morar com eles desde os 18 anos.
Certa vez quando Amy estava em Fortaleza para fazer uma consulta, a missionária Rita a levou para a casa de uma professora da Academia Batista, que estava sofrendo de problemas emocionais. 
Então chamaram um psicólogo, Dr. José Maria do Nascimento, mas a professora não quis falar com ele porque ele não era crente. Ele mandou dizer que era médico do hospital Batista e que tinha a mesma crença dela. Amy passou a semana cuidando da professora e o Dr. José Maria também. Amy falou pra ele que estava muito feliz em conhecer um psicólogo crente. 
Como a professora não melhorava, eles tiveram que mandá-la de volta para os Estados Unidos. Dois dias antes, Dr. José Maria perguntou a Amy como ele podia saber a vontade de Deus para vida dele. Amy abriu a Bíblia e leu alguns versículos e naquele momento ele pediu perdão a ela e disse que não era crente e que só falar que era para poder ajudar a professora. E ainda falou: “Amy, eu lhe observei nesta semana. Como é que eu posso ter o que você tem?” E com muita disposição e alegria Amy explicou pra ele que Deus o amava e que tinha enviado Seu único Filho para morrer numa cruz pelos seus pecados. Ele fez muitas perguntas e pediu que Amy marcasse todos os versículos que ela tinha lido pra ele numa Bíblia que ele tinha.

Pastor Geraldo estava vindo à Fortaleza para buscar Amy e o Dr. José Maria queria conhecê-lo. Ele pediu ao casal que sempre fosse a sua casa quando tivesse em Fortaleza. Alguns meses depois, Amy e Geraldo foram aos Estados Unidos e lá recebeu uma carta do Dr. José Maria dizendo: “Meus prezados irmãos em Cristo”. A frase “irmãos em Cristo” chamou atenção do casal. Na carta Dr. José Maria contou que depois de lê a historia de Lázaro e que Jesus havia chorado com compaixão por Maria e Marta. Ele se ajoelhou ao lado da cama e aceitou Jesus como Salvador pessoal. Geraldo e Amy choraram enquanto liam a carta. Sim, Deus chamou mais um pecador para que “Vades e deis frutos, e o vosso fruto permaneça” João 15:16.

Apoiados nos Braços Eternos

Capítulo V
Quando retornaram dos Estados Unidos, novamente Geraldo e Amy foram convidados a tomar conta da casa da Missão e dos estudantes. Ficaram quatro anos nesse ministério. Seu filho Timóteo precisava ir aos Estados Unidos para continuar seus estudos. A despedida foi muito difícil, mas Amy sabia que ele precisava ir. Deus tinha um plano para a vida de Timóteo, pois na faculdade ele conheceu uma jovem chamada Judy e se casaram no ano de 1987. Geraldo e Amy participaram do casamento. Judy estava cursando um curso de enfermagem.

Naquele mesmo ano, Amy foi ao médico receber alguns exames de sangue e o médico disse que ela tinha câncer no sangue. Foi um choque para todos. No mesmo dia ela começou a tomar quimioterapia. Eles fizeram algumas perguntas: “Podemos voltar para a Obra Missionária no Brasil? Sentirei reações? O remédio vai ajudar? Quantos anos terei de vida”? A resposta foi: Não sabemos, temos que esperar. Foi muito difícil e eles choraram. Então eles se ajoelharam ao lado da cama e dedicaram novamente suas vidas nas mãos de Deus. O versículo que confortou bastante foi Jeremias 29:11 “Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz e não de mal para vos dar o fim que desejais”.
Deus sempre faz o melhor para seus filhos, seja pela vida ou pela morte. O dia que eles receberam essa notícia do médico era uma quarta-feira, dia de culto de oração e estudo bíblico. O texto que o pastor leu foi em Salmo 55:22 “Confia os teus cuidados ao Senhor, e Ele te susterá; jamais permitirá que o justo seja abalado”.  

Eles foram fortalecidos com a Palavra do Senhor. O médico tinha dito que eles poderiam retornar ao Brasil, se em Fortaleza tivesse laboratório que fizesse os exames necessários. Na providência de Deus, em setembro o Dr. Marinaldo e sua esposa Sofia chegaram a casa deles para visitá-los e Sofia tinha um problema de saúde e foi consultar o médico de Amy. 
Quando o médico viu os exames que ela tinha feito em Fortaleza, ficou animado.  Alguns exames eram os mesmos que Amy precisava fazer. Eles podiam voltar ao Brasil. Deus é digno de toda confiança. Eles louvaram ao Senhor por essa grande benção. Sabemos que podemos confiar em Deus, mesmo não compreendendo as provações e aflições em nossas vidas.
Voltaram à Fortaleza no dia 04 de julho de 1988. Pr. Geraldo foi pastorear a Igreja Bíblica de Pajuçara e também assumiu o cargo de Deão Acadêmico no SIBIMA (Seminário e Instituo Bíblico Maranata). 
Amy era professora dos jovens na Escola Bíblica Dominical e continuava seu ministério como enfermeira. 
Certo dia, Amy foi chamada ao hospital César Cals para assistir uma cirurgia complicada de uma jovem chamada Márcia Silveira, uma jovem crente da Igreja Bíblica de Acaraú. Todos os dias Amy ia ao hospital para cuidar dela. Numa madrugada Amy foi chamada urgente para ir ao hospital. Márcia estava com hemorragia e estava perdendo sangue tão rápido que a transfusão de sangue não resolveu. Muitos médicos estavam cuidando dela. De vez em quando Márcia falava para Amy: “Eu sei que estou morrendo e vou para o Céu estar com Jesus. Por favor, Dona Amy, conta o caminho da salvação para os médicos, fale de Jesus”.  
Amy não sabe quantas vezes orou com ela e contou o plano de salvação para os médicos. Márcia só tinha 18 anos e sempre dava um bom testemunho de uma vida transformada por Jesus. 
Hoje ela estar no Céu com Jesus. Deus sempre dava oportunidade para Amy cuidar de pessoas na hora que estavam passando por uma experiência muito difícil. Tuty foi uma dessas, ela era professora no SIBIMA, e foi Amy que deu a notícia que ela tinha câncer. Tuty sabia que Amy entendia o que estava sentindo. Ela também está nos braços eternos do Senhor Jesus.
Depois de servir a Deus no Brasil por 43 anos, Pr. Geraldo e D.Amy estavam se aposentando como missionários nesse país. Eles saíram do país no dia 08 de junho de 1996. 
Ao chegaram aos Estados Unidos, o Senhor providenciou tudo o que eles precisavam. Compraram uma casa e as pessoas de uma igreja deram os móveis e objetos necessários para a casa. Só Deus podia fazer isso. E passando mais de um ano morando perto da casa de Raquel, eles foram morar perto da casa de Timóteo e assim podiam fazer parte da vida dos netos, Adriana, Joel e Olívia.

Eles são membros duma igreja onde Geraldo é um dos presbíteros e tem o privilégio de pregar e ensinar na Escola dominical. Em agosto de 2002 eles organizaram e lideraram uma Escola Bíblica de Férias, quase todos os jovens da igreja participaram. Amy sempre dar graças a Deus pelo seu esposo. Ele apoiou no ministério de enfermagem, nunca impediu que ela fosse atender uma pessoa doente, e muitas vezes, numa emergência ajudava com o enfermo. Às vezes, ele também ficava sozinho e cuidava dos filhos.
Eles louvam a Deus pelas bênçãos que Ele tem dado todos os dias. DEUS É FIEL! Aquele que confia no Deus eterno, como seu grande refúgio, sentirá a realidade da Sua promessa que diz: “O que habita no esconderijo do altíssimo à sombra do onipotente diz o Senhor: Meu refúgio e baluarte, Deus meu, em quem confio” Salmos 91:1 e 2.

Você também pode confiar em Deus. Ele é amoroso, o nosso refúgio e fortaleza na angústia. Se você sente o chamado para a Obra Missionária, saiba que Ele mesmo vai dar a direção no momento certo e você será uma benção. Lembre-se de que você sempre estará apoiado nos braços eternos de Jesus.

Últimas notícias do Pastor Geraldo e Amy Bergen

Em 2008 passamos 5 meses servindo como diretor e professor do Instituo Bíblico Antioquia e Amy ajudando nas necessidades medicais do povo.  Antes da nossa viagem Timóteo e esposa, Judy, indicaram que eles desejam que nós fazemos uma mudança para viver perto deles.  Eles disseram que nós estávamos chegando perto de 80 anos de idade e queriam cuidar de nós quando for necessário. Timóteo mora na casa pastoral de Broaddlands Bible Church localizada mais ou menos 12 quilômetros da cidade de DeRidder, Louisiana.

Milagrosamente uma casa vizinha da casa pastoral se tornou de venda logo antes da nossa viagem ao Brasil.  Nós logo resolvemos comprar a casa.  Já moramos na casa por seis anos.  Concernente nossa saúde – Começo com Amy.  Você sabia que ela teve câncer do sangue por muitos anos tomando quimioterapia de vez em quando.  Isto piorou muito três anos atrás.  O oncologista mudou o tipo de quimioterapia várias vezes.  Os efeitos laterais são significantes.  O que ela te difícil ainda ela tem um tipo de demência que progressivamente pouco a pouca está afeitando sua memória.  Ela não pode mais tomar as responsabilidades domésticas.  Ela pode ajudar, mas eu assumi estas responsabilidades.  
Graças a Deus ainda podemos viver independente.  Estamos assistindo todos os cultos e fazemos as compras e outras necessidades.  Estamos agora com 85 anos de vida e Deus tem nos abençoado sobremaneira.  Minha saúde, considerando minha idade, está bem.  Eu tive problemas cardíacos e tenho dores nas costas e outros limites mas posso funcionar bem.  Eu participo no ministério pela internet respondendo perguntas bíblicas no programa chamado gotquestions.org/portugues.  
Amy e eu fomos privilegiados sobre maneiro no ministério de Deus e damos graças a Deus.  Desejamos que Ele seja glorificado.

No dia 16 de fevereiro de 2017, Deus levou Amy para o Lar Celestial. Agora ela está com o Senhor e um dia vamos nos encontrar lá no Céu.














Leia Mais...

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

La Bíblia de Mary Jones

POR FAVOR, NO ME DEJE CREAR EN LA OSCURIDAD
LA HISTORIA DE MARY JONES

Introducción: "Mamá porque no podemos tener una Biblia, como la señora que tenía una cuando estaba creciendo"? Esta fue la pregunta de Mary Jones cuando tenía ocho años. Mary Jones nació en el país de Gales en 1784. Aún pequeña ella comenzó a clamar un sueño: tener su propia Biblia. Ella quería poder leer, en su casa, aquellas historias tan bonitas que solía oír en la iglesia. Este deseo, sin embargo, parecía imposible de realizar.

La familia de Mary era muy pobre. Ellos vivían en una casa sencilla que quedaba en una pequeña aldea llamada Alan. Su padre trabajaba en las minas de carbón. Su madre le respondió a Mary: "Los dueños de las minas de carbón no le pagan a su padre lo suficiente para tener un lujo como una Biblia". En verdad, para Mary, poseer una Biblia no debía ser un lujo y ella prefería tener una Biblia que tener algo para comer.
Mary todavía no sabía leer - y, por desgracia, no había escuelas en las cercanías. Además, en aquel tiempo, las Biblias - así como los demás libros - eran muy raros y caros. Sólo unos pocos privilegiados podían tener un ejemplar de las Sagradas Escrituras.
La familia de Mary Jones era muy pobre, pero sus padres amaban a Dios. Siempre su madre le enseñaba a Mary algunos versículos que ella había memorizado cuando era niña.
La mamá habló también que incluso si tuviera una Biblia no podía leerla porque no sabía leer en inglés. La señora Evans tiene una Biblia en galés. Ella la guarda en la sala de estar en una hermosa mesa, cubierta con un paño blanco. ¡Tan bonita! Ella compró aquella Biblia de un hombre de la aldea de Bala, allá en la montaña, hace muchos años.
Mary le dijo a su madre: "Ya tengo ocho años, demasiado vieja para no saber lo que dice la Biblia. Entonces tú vas a tener que enseñarme los versículos que recuerda.
"¿He enseñado el que habla que la Palabra de Dios es una lámpara para mis pies? Sí - y Luz para mis caminos - respondió Mary.
Todos los domingos, Mary iba a la iglesia con sus padres. Ella cantaba los himnos y oía la predicación del Pastor, pero tenía mucha dificultad en entender las palabras del sermón. Sin embargo, ella tenía un cariño muy grande por la Biblia que el pastor cargaba. Mary Jones hizo una promesa a sí misma: ¡Un día, ella tendría su propia Biblia!
Al volver a casa, Mary le dijo a su madre: "Recuerdo el versículo que dice: que la Palabra de Dios es luz para mis caminos cuando tengo que ir detrás de la vaca después de la puesta de sol. Puedo ver la luz de la lámpara brillando en las ventanas de la casa, y sé cómo llegar a esa casa. Es por eso necesito una Biblia - es la luz de Dios en la oscuridad.
Esta oscuridad me hace pensar en el pecado. El pecado es romper las leyes de Dios. Es todo lo que pensamos, hacemos y hablamos de lo que no le agrada a Dios. Por ejemplo: mentir, decir palabras feas, desobedecer a los padres, pelear con sus amiguitos. Tú y yo ya nacemos en el pecado. La Biblia dice: "Yo nací en la iniquidad, y en pecado me concibió mi madre" Salmo 51: 5. Todo pecado es siempre en contra Dios y por eso necesita ser castigado. El castigo del pecado es permanecer lejos de Dios para siempre. La oscuridad recuerda el pecado.
Dios te ama mucho. La Biblia dice en Juan 3:16: "Porque Dios amó al mundo". El mundo quiere decir a la gente. Fue Él quien te creó y todo lo que hay en el mundo, como por ejemplo las plantas, el mar, los animales. Dios vive allí en el cielo y está preparando un hogar para sus hijos. Él es santo y aun siendo todo perfecto todavía te ama.
Y a causa de su gran amor, Él envió del cielo a su Hijo perfecto - el Señor Jesús que de buena voluntad pagó el precio de nuestro pecado derramando su preciosísima sangre. La Biblia dice: "Y la sangre de Jesús, su Hijo, nos purifica de todo mal". Él tomó nuestro castigo en aquella cruz. ¡Murió! Al tercer día, Jesús resucitó. Él venció a la muerte y tiene poder para librarte de la oscuridad, del pecado.
En aquella noche, cuando María se arrodilló al lado de la cama, oró al Señor diciendo: "Querido Dios, que dio pan al pueblo hambriento en los tiempos antiguos, y que has enseñado y bendecido hasta el más pobre, por favor déjame aprender, para que yo no crezca en la oscuridad.
Al cumplir 10 años, la niña vio surgir una oportunidad de aprender a leer. Su padre fue a vender tejidos en una aldea cercana, llamada Aber, y supo que allí estaba abierta una escuela primaria. La escuela se encontraba a unos tres kilómetros de distancia de donde vivía Mary. Ella estaba preocupada, pensando que su madre no conseguiría realizar todas las tareas de casa, pero la mamá sabía que su hija no quedaría satisfecha hasta que aprendiese a leer.
Tiempos después, cuando la escuela empezó a funcionar, Mary fue una de los primeros niños en matricularse. Por eso Mary andaba aquellos kilómetros para la escuela en la lluvia y en la nieve, fascinada en aprender a leer.
A causa de su motivación, pronto se convirtió en una de las primeras alumnas de su clase. En poco tiempo, aprendió a leer y fue invitada por su profesor a leer una parte de la Palabra de Dios.
Cuando la señora Evans se enteró de que Mary amaba la Palabra de Dios, la invitó a ir a su casa para conocer de cerca la Biblia de la familia. Ella siempre le dicía a Mary: "Cuando Dios dé un deseo, Él también va a satisfacer".
Con todo cuidado Mary abrió algunas páginas y luego se sumergió en sus historias. Y ahora todos los sábados Mary iba a la casa de la señora Evans, dueña de la Biblia en galés. Ella llevaba lápiz y papel para que pudiera copiar los versículos que quería memorizar.
Un día ella le preguntó: "Señora Evans, ¿tu amigo tiene una Biblia en galés que yo pueda comprar? Juan 5:39 dice: "Examinas las Escrituras, porque crees tener en ellas la vida eterna, y son ellas mismas que testifican de mí". ¿Cómo puedo examinar las Escrituras si no las tengo?
D. Evans dijo que su padre tenía que trabajar en las minas seis meses o más para ganar dinero suficiente para comprar la Biblia. Y Mary dijo: "Voy a ganar el dinero sola. Ya he pensado en varias maneras.
Conmovida por la sinceridad de la niña, la señora Evans dijo que, si ella memorizaba todos los versículos del capítulo siete de Mateo, ella le daría un gallo y dos pollos. Luego ella tendría una pareja de gallinas ponedoras y podía vender los huevos para comprar su Biblia.
 
De ese día en adelante, Mary comenzó a trabajar para comprar su querida Biblia en galés. Las monedas entraban despacio en la cajita, centavo por centavo. En algunos días nada entraba, porque su corazón cariñoso quedaba conmovido al ver las necesidades de otras personas. Un día en la escuela, un perro de la calle se llevó el almuerzo de una de las niñas. Mary compartió su escaso almuerzo con el niño.
A Mary le tomó seis años de mucho trabajo
Seis años cuidando bebés llorones para las madres cansadas.
Seis años juntando leña al fuego, levantándose antes del amanecer y llevándola a la villa bajo la nieve y en el hielo.
Seis años haciendo tareas, juntando huevos.
Seis años trabajando en la tierra para hacer una huerta, plantando semilla, cuidando la tierra, cosechando y vendiendo frutas y verduras.
entre otras exhaustivas labores.
Aplicación: Mary amaba tanto la Palabra de Dios que trabajó para conseguir una Biblia. ¿Usted que ya recibió a Jesús como Salvador, usted ha dado el valor rela a su Biblia? ¿Usted ha memorizado los versículos? Recuerde que la Palabra de Dios es preciosa y nos guarda de pecar en contra de nuestro Dios. Ella es una lámpara para nuestro camino. Mira lo que dice Salmo 119 y 11: "Guardo en el corazón tus palabras para no pecar contra ti”.
Hoy muchas personas tienen condiciones de comprar una Biblia y en casa probablemente hay más de una de ella, pero, algunos no le dan el valor real como nuestra amiga dio y luchó para conseguir una.
 
Mary nunca dudó de que el Dios toco en su corazón, para dacirle que tener una Biblia satisfaceria ese deseo de la palabra de Dios. Ahora ella tenía el dinero que la señora Evans creía que era necesario para comprar una Biblia en galés al Sr. Thomas Charles. Sus padres y Mary estaban radiantes de felicidad, Mary tenía dieciséis años cuando en aquella mañana gloriosa partió a la Bala, la villa se quedaba a unos 36 kilómetros de distancia donde vivía el Sr. Thomas y sus Biblias en galés.
Antes de partir, la familia se unió en oración agradeciendo a Dios por su bondad y por suplir el dinero para comprar la Biblia. Mary tendría una larga caminata por delante.
A continuación, Mary  se despidió cariñosamente de sus padres. Mary llevaba consigo tres cosas: una merienda para el camino, el dinero que ella arduamente había juntado y un par de zapatos que ella pretendía calzar sólo cuando estuviera cerca de Bala. Como era pobre, Mary hizo el largo viaje de 36 kilómetros a pie, descalza.
Durante el camino, mirando las montañas a su alrededor, Mary recordó las palabras del Salmo 121:
"Ojo a los montes y pregunto:
"¿De dónde vendrá mi socorro?"
Mi socorro viene del Señor Dios,
que hizo el cielo y la tierra.
Y así Mary siguió su viaje. Atravesó valles y arroyos en su camino hacia Bala. Mary estaba cada vez más cansada. Sus pies dolían mucho. Algunas veces, Mary llegó a pensar que no llegaría nunca a Bala. Parecía demasiado para ella. En esos momentos, ella intentaba alentarse a sí misma:
- ¡Vamos, Mary, vamos! ¡No falta mucho ahora! - ella pensaba.
Al anochecer, Mary consiguió ver una ciudad. ¡Era Bala! El corazón de Mary golpeó más fuerte. ¡Finalmente ella había llegado! Más motivada que nunca, Mary continuó de nuevo, bajando la colina. Llegó a Bala cansada, con hambre y con los pies llenos de ampollas. 
Mary pidió información para encontrar la casa de un pastor llamado Thomas Charles. Era él quien tenía Biblias para vender. Después de golpear en varias puertas y pedir ayuda, finalmente Mary encontró la casa del pastor. Ella atravesó el jardín de la casa d y golpeó con fuerza en la puerta delantera. Este era el día que Mary esperaba desde hacía mucho tiempo. Ella había trabajado y ahorrado durante muchos años para tener su propia Biblia
Cuando la puerta se abrió, Mary le dijo al pastor:
- Mi nombre es Mary Jones. Yo vivo en una aldea detrás de las montañas. Yo caminé 36 kilómetros para llegar aquí. He ahorrado durante seis años para comprar una Biblia. El dinero está aquí en esta bolsa. Si usted quiere, puede contar. ¿Usted tiene una Biblia en galés para mí?
Sorprendido, el pastor dijo:
- Mary, por favor, entre y me cuenta todo. Pero primero tienes que comer algo. ¡Además de cansada, usted debe estar hambrienta!
El pastor sonrió y llamó al mayordomo para llevar a Mary a la cocina. Después de haberse alimentado, Mary le contó todo, detalle por detalle al pastor. Fue entonces cuando vino la triste noticia:
- Lo lamento mucho, Mary, pero la única Biblia en galés que tengo está reservada para otra persona. Mary no podía creerlo. Aquellas palabras acabaron con la esperanza que ella sostenía por todos aquellos años. Abalada, Mary se hundió en una silla y empezó a llorar.
- ¿Voy a devolverme a casa sin una Biblia, con las manos vacías?
-Mary lloraba desconsolada.
No hay Biblias en galés sobrando, el señor Thomas dijo mientras Mary continuaba llorando. Déjame darte una Biblia em inglés.
Mary  balanceó la cabeza diciendo: "Señor Thomas, no comprendo cuando Dios habla en inglés. Cuando descubra el significado de unas palabras, ya habré olvido los otras, no conseguiré entender lo que Dios está diciendo ".
Él intentó consolarla, pero María no podía parar de llorar porque el corazón le dolía demasiado. "Es como si alguien hubiera dicho:" María, tienes que crecer en la oscuridad. Usted nunca verá el sol ".
El pastor se conmovió al ver el llanto de Mary. En realidad, él tenía una Biblia en inglés y otra en galés, y la persona que había encargado la Biblia comprendía los dos idiomas. Entonces él dijo:
- No llores Mary, sé que tener una Biblia es el sueño de tu vida. tú has luchado mucho por ello y mereces tener tú propia Biblia. Aquí está, puedes llevarla. Es una Biblia en galés.
Mary dio un salto de alegría. Las lágrimas se secaron y con mucho cariño, abrazó la Biblia
 - Esta Biblia es preciosa!
- ¡Gracias, pastor! Muchas gracias.
El señor. Thomas no quiso recibir el dinero de Mary, pero ella insistió porque quería ayudar a que pudieran imprimir más Biblia en su lengua.
A la mañana siguiente, Mary agarró su Biblia con las dos manos y, desbordándose de felicidad, comenzó el viaje de regreso a su hogar. Sus pies eran leves cuando volvió por el camino de la montaña, con su preciosa Biblia.
En aquella tarde, los padres de Mary aguardaban ansiosamente el regreso de su hija. Al anochecer, ella finalmente llegó a casa.
- ¡Mira, papá! ¡Mira! ¡Es mi Biblia! - decía Mary, con una gran sonrisa.
Después de cenar, todos se sentaron a la luz de la lámpara. Por primera vez, Mary abrió la Biblia en su casa y leyó el Salmo 150:
Aleluya.
Alabanza a Dios en su Templo ...
Alaben al Señor
por las cosas maravillosas que ha hecho.
Todos los seres vivos
¡Alaben al Señor!
Aleluya!
Entonces la familia Jones se arrodilló para agradecer a Dios por el maravilloso tesoro recibido: una Biblia en su propia lengua, la lengua que ellos comprendían mejor.
Pero la historia no termina aquí. Mary Jones se ha convertido en parte de la historia más grande que dura hasta los días de hoy.
En su oficina, de vez en cuando el pastor Thomas Charles le recordaba cómo la joven niña había salido feliz de su casa abrazando la Biblia. El pastor se preguntó que debería haber muchas otras "Mary Jones" queriendo una Biblia en su país
Algunos años después, para mostrar la necesidad y la dificultad de conseguir una Biblia en el País de Gales, el pastor Thomas Charles contó la historia de María en un encuentro de pastores en Londres. Allí, los dirigentes de las iglesias hicieron planes para obtener más Biblias a precios asequibles para la población del País de Gales. Cuando se sugirió la creación de una organización para proporcionar Biblias en el País de Gales, un pastor llamado Hughes exclamó:
- Es claro que una sociedad debe ser formada con esa finalidad. Pero ¿por qué sólo para el País de Gales? ¿Por qué no para toda la Gran Bretaña? ¿Por qué no para el mundo entero?
Y así, en aquel encuentro que reunió a unas 300 personas, se fundó la Sociedad Bíblica Británica y Extranjera. Era el 7 de marzo de 1804. El trabajo de esta sociedad llegó a muchos otros países. En 1808, por ejemplo, el primer envío de Nuevo Testamento en portugués fue enviado a Brasil.
En todo el mundo se crearon Sociedades Bíblicas nacionales. En Brasil, la Sociedad Bíblica de Brasil fue oficialmente fundada por las iglesias cristianas el 10 de junio de 1948. Desde entonces, la Sociedad Bíblica de Brasil, cariñosamente llamada SBB, ha servido a las iglesias cristianas y desde hace algunos años ha estado siempre entre las Sociedades Bíblicas nacionales que más distribuyen Biblias y literatura bíblica.
Mary Jones se casó con un tejedor llamado Thomas Lewis. Dios le dio muchos hijos, y sus días estaban llenos de felicidad asi como también con labores, como cosiendo, aprendiendo, enseñando en la Escuela de la Biblia Dominical y sus hijos usaron su querida Biblia.
Ella cumplió la promesa que le hizo al señor Thomas Charles, que ella criaba abejas y vendía la miel para las necesidades de la casa, pero vendía la cera para ayudar a imprimir las Biblias. Cuando los hijos ya eran grandes, ella sirvió como funcionaria en la Sociedad Bíblica.
Mary Jones vivió hasta los 82 años. Cuando murió el 28 de diciembre de 1866, estaba sosteniendo aquella querida Biblia en galés en los brazos.
En aquella época, la Biblia sólo era accesible en cincuenta lenguas. Hoy en día, la Biblia se imprime en más de dos mil lenguas.
El libro del Apocalipsis 5: 9 dice: Y cantaban un nuevo cántico, diciendo: Digno eres de tomar el libro, y de abrir sus sellos; porque fuiste muerto, y con tu sangre nos compraste para Dios de toda la tribu, y lengua, y pueblo, y nación;
Ellos oyeron el Evangelio en una lengua que podían entender. Qué milagro de la gracia de Dios, además de la imaginación de aquella niña de Gales, hace muchos años ella oró:
"Señor Dios, por favor, déjame aprender para no crecer en la oscuridad".

(Profesor haga la invitación para el niño, enséñale a valorar la Palabra de Dios, ante los desafíos.)
Autora: Elizabeth Rice Handford
Adaptación: Darlene Alencar Oliveira
Fuente de las imágenes: Sociedade Bíblica do Brasil



Leia Mais...