"Deixai os pequeninos, não os embaraceis de vir a Mim, porque dos tais é o reino dos céus." Senhor Jesus Cristo
Mateus 19:14
RSS

domingo, 14 de setembro de 2014

Quando as Pessoas são GRANDES e Deus é Pequeno

Muitas pessoas tem plena certeza de que Deus as ama, mas também querem ou precisam do amor de outras pessoas – ou pelo menos precisam de algo de outras pessoas.  “Temer” no sentido bíblico é uma palavra muito ampla, inclui ter medo de alguém, respeitar muito alguém, ser controlada ou dominada pelas pessoas, adorar outras pessoas, colocar sua confiança nas pessoas ou precisar de pessoas.
Colocamos as pessoas no lugar de Deus.
Baixa autoestima significa que eu tenho um conceito muito elevado sobre mim mesmo. Estou muito envolvido pessoalmente.  Sinto que mereço mais do que eu tenho. Esse é o lado oculto do orgulho. Para aqueles que de algum modo foram abusados no passado lembrem-se:
·         Deus se angustia com a vitimização de seus filhos, e está fazendo algo a respeito. Salmo 22.
·         Deus estende a sua compaixão e o Seu poderoso braço para eliminar a vergonha.
Qualquer coisa que diminua o temor de Deus irá intensificar o temor do homem.
Quando os sentimentos tornam mais importantes do que a fé, as pessoas irão tornar-se mais importantes, e Deus, menos importantes.
Se você “necessita” amar (sentir-se bem a seu respeito), você logo será controlada pela pessoa que lhe demonstrar amor.

O que se opõe ao Temor do Senhor?
O mundo, a nossa própria carne, e o diabo conspiram para elevar outras pessoas (ou o que podemos conseguir delas) acima de Deus.
A maioria dos pecados é um exagero pecaminoso de coisas que são boas.

Aprendendo o Temor do Senhor  (Deuteronômio 4.10;  Salmo 34.9,11)
Como ele é aprendido?
Lendo e meditando na Palavra e orando para que Deus nos ensine.
Tanto a justiça quanto o amor são expressões da Sua santidade, e nós devemos conhecer os dois para aprendermos o Temor do Senhor.

Aprendendo o Temor do Senhor o Criador (Salmo 33.8-9)
A glória de Deus revestida na criação:
·         O azul do céu reflete as suas vestes reais.
·         As nuvens são lembretes de Sua presença (êxodo 19.9)
·         Elas são o seu carro quando examina a criação (Salmo 104.3)
·         Os ventos são seus mensageiros (Salmo 104.4)
·         Eles vêm dos reservatórios de Deus (Salmo 135.7)
·         O sol aparece como um noivo, fazendo-me lembrar de que Jesus está voltando para a Sua Igreja (Salmo 19.5)
·         Os céus verdadeiramente celebram as Suas maravilhas (Salmo 89.5)
·         Eles proclamam a Sua glória (Salmo 19.1)

Um conhecimento crescente de Deus substitui o temor das pessoas, e expulsa a nossa tendência de não nos preocuparmos com os nossos pecados secretos.
Nós aprendemos o temor do Senhor conhecendo a Deus o Criador.
Nós aprendemos o temor do Senhor testemunhando Deus como redentor.
Nós aprendemos o temor do Senhor vivendo em santidade.

Cresça no Temor do Senhor
O temor do Senhor: Sua Formosura.  Devemos achar esse conhecimento belo e atraente. O Livro de Provérbios pode nos ajudar. O coração do livro é o temor do Senhor: ele é o portão de entrada, o caminho e o fim da sabedoria. (Provérbios 9.10)
O Temor do Senhor é o grande tesouro da vida. Aquele que teme ao Senhor:
Ø  Ficará satisfeito; e mal nenhum o visitará (19.23)
Ø  Prolonga os dias da vida (10.27)
Ø  O homem tem forte amparo e refúgio para seus filhos (14.26)
Ø  É fonte de vida (15.16)
Ø  Traz honra (22.4)
Ø  Pode ser louvado quando o vemos (31.30).
O que parece o Temor do Senhor?
Parece com o amar o bem e odiar o mal (8.13). Parece com confiar (respeito) em Deus e obedecê-Lo.
O Temor do Senhor: As questões de Deus
“Acaso, desde que começaram os teus dias, destes ordem à madrugada...” Jó 38.12
“Porventura te foram reveladas as portas da morte, ou viste essas portas da região tenebrosa? Tens ideia nítida da largura da terra?...” Jó 38.17-18.
“Ou ordenarás aos relâmpagos que saiam, e te digam: Eis- nos aqui?” Jó 38.35.
O Temor do Senhor: Face a Face (Isaías 40.11; 52:14-15; 53.12)
Isaías esqueceu-se de si mesmo e ofereceu-se como um servo ao Deus Vivo. O seu temor do Senhor foi demonstrado pela obediência reverente. Essa é umas das grandes bênçãos do Temor do Senhor.  Nós pensamos menos em nós.  Quando um coração está sendo preenchido com a grandeza de Deus, há menos espaço para a pergunta: “O que as pessoas estão pensando sobre mim”?
Quando estamos sendo oprimidas por outras pessoas – sejam inimigas, patrões, ou cônjuges – esta é umas das santas figuras que Deus nos dá: “A opressão não durará, mas, sim, a minha compaixão”, diz o Senhor.  É preciso ter os olhos de fé para enxergar os braços fortes de compaixão de Deus e antever a libertação em tempos de angústias.

O Temor do Senhor: A Ira de Deus
Ao lembrarmos que haverá um juízo divino quando a ira de Deus será revelada (Romanos 2.5) O inferno nos ensina sobre o Temor do Senhor.  Jesus, aquele que nos liberta do inferno, também é aquele que mais fala sobre ele.  Ele é o pregador do “espanto”, o divino ameaçador. (Mateus 5.22; 7.19; 9.43-44; 35.41; João 3.18).

O Temor do Senhor: Admiração
“Se eu apenas lhe tocar as vestes, ficarei curada”. Essa mulher sem nome é uma professora do Temor do Senhor.  Ela primeiro ouviu a Jesus e viu o que ele fez.  Sem dúvida ela estava admirada pelo que tinha visto e ouvido. Mas a sua admiração levou a confiar que Jesus era o Messias, o Filho de Deus.
A admiração é boa, mas admiração deve levar-nos à fé, e fé deve levar-nos à ação.

O Temor do Senhor: “Não Temas”
Jesus, o grande pastor, cujo amor santo é tão impressionante quanto o Seu poder disse: “Não temais”.  Jesus nos convida a nos aproximarmos Dele e conhece-Lo.

O Temor do Senhor e o Evangelho
A morte de Jesus deveria provocar um temor santo em nós. Não há nenhum outro ato que encerre de tal modo o amor santo e a justiça santa.
Senhor ensina a Tua igreja a temê-Lo.  A Sua graça não é sempre admirável aos nossos olhos.  Nós somos tardios em odiar o pecado.  Estamos mais preocupados com que alguém pensa sobre a nossa aparência do que sobre a obediência reverente diante de Ti. Nós queremos nos deleitar em temor. Queremos entesoura-lo e passa-lo à próxima geração. Amém”.
Tarefas:
1    Ø  Rever os salmos sobre a criação.  Salmo 8,19,29,65.104.
Ø  Medite sobre os salmos de entronização. Salmo 95,97,99.
Ø  Rever Salmos 139.
Ø  Hinários que expressam a santidade de Deus.
Ø  Ler o livro de Habacuque
Ø  Ler o livro A Santidade de Deus,
Ø  Rever as passagens do Novo Testamento que falam do inferno. 2 Tess 1.5-10; 2 Pedro 2.10; Apocalipse 14:9-11.
Ø  Fazer parte de grupo de oração “Temor do Senhor” ou  “Conhecendo o Senhor”.
Ø  Reservar um tempo para confessar o seu temor das pessoas e a falta de temor do Senhor.             

Examine Biblicamente as Necessidades que você sente
Devemos lembrar que Jesus não pretende satisfazer meus desejos egoístas. Pelo contrário, Ele pretende quebrar a taça das necessidades psicológicas (ambições), e não enchê-las. As minhas necessidades, os meus desejos ou ambições eram grandes. Eram tão grandes que eu olhava para todos para satisfazê-los, para Deus e para as outras pessoas. Eu tinha medo dos outros porque as pessoas eram grandes, os meus desejos eram ainda maiores, e Deus era pequeno.
A razão principal pela qual há uma epidemia desse sentimento de vazio é que nós temos criado e multiplicado as nossas necessidades, e não Deus.

Conheça as suas necessidades reais
O foco natural para os nossos pensamentos não são os nossos próprios desejos, mas o infinitamente grande “Deus da glória” (Atos 7.2).
A nossa pergunta deveria ser: “Como posso glorificar a Deus?” – e não “Como Deus irá suprir os meus anseios psicológicos”?

Do que realmente nós precisamos?
A Bíblia deixa clara que nós somos pessoas carente.
1.      Nós fomos criados com necessidades biológicas. Precisamos de Deus e outras pessoas para satisfazer essas necessidades.
2.      Somos pecadores que têm necessidades espirituais.
3.      Somos criaturas criadas como pessoas com dons e habilidades limitadas. E Deus tem prazer em nos dar o que necessitamos.
“A maior necessidade de toda humanidade é que Deus seja reconhecido e adorado como o Santo de Israel”

Deleite-se em Deus que nos satisfaz
Antes de tudo devemos entender que os nossos próprios pecados, não importando o tamanho deles, não são maiores que o prazer de Deus em perdoar. A Palavra de Deus, não os sentimentos, é o nosso padrão.
O caminho do amor de Deus não é sem sofrimento. Na verdade, aqueles que amam mais sofrem mais. Mas o caminho do amor de Deus é um caminho que nos leva a transbordar.  A nossa taça não consegue conter o que Deus nos concede. É apenas natural, então, que o consolo que recebemos de Cristo transborde na vida de outras pessoas (2 Coríntios 1:3-7).  O nosso objetivo é amar as pessoas mais do que precisar delas.  Nós estamos transbordando jarros, não taças quebradas.

O Temor do Senhor simplifica a vida.
Como posso ver Cristo de uma forma tão gloriosa que esqueças as minhas necessidades?

O caminho para deixar o temor do homem é o caminho da confissão de pecado e o arrependimento. Não há alternativas.

4 comentários:

Darlene Kids disse...

Um livro que vale apena ler e recomendar.

Vandyrene Sousa disse...

Amiga, obrigada por compartilhar conosco essas bênçãos! Que o Senhor seja sempre glorificado através de sua vida. Um abraço!

Kilderi disse...

Quero lê este livro, aonde posso conseguir?

Larissa Ferraro disse...

Excelente amiga!
Você está sempre em minhas orações.
Bj

Postar um comentário